O poder das palavras

Para os australianos, as eleições federais estão à porta e os partidos políticos fazem o melhor que podem para ganhar votos. É uma verdadeira guerra, mas nesta guerra, as armas são as palavras, não as metralhadoras.   Os partidos escolhem as palavras cuidadosamente: “Cortes”, “Impostos”, “Pagar”, “Futuro”, porque sabem que estas palavras chamarão a atenção das pessoas. Manipulam-nas com a pontuação e conotação desejadas, para poderem fazer as suas reivindicações e convencer os eleitores de que são a melhor opção para eles

Hoje, decidi falar sobre o poder das palavras. Juntamente com a pontuação adequada, elas podem ser mortíferas, como qualquer outra arma. Uma vírgula mal colocada pode mudar completamente o sentido de uma frase, em termos diplomáticos, isso pode significar conflito.       

O mundo político gira à volta das palavras. Os políticos têm profissionais que escrevem os seus discursos, para assegurar que são escolhidas as “palavras certas” e que é passada a “mensagem certa”. Tem de ser persuasivo; tem de pôr os eleitores do seu lado.  

Mas na era das redes sociais, ser apenas persuasivo não chega, as pessoas querem imagens, as pessoas querem imagens poderosas associadas a mensagens poderosas, para passar o seu ponto de vista. O que deveria ser para passar uma mensagem positiva das suas políticas, tornou-se numa guerra de ataques aos seus opositores. Já não anunciam as suas próprias políticas, em vez disso, atacam os seus opositores com o que querem que os eleitores acreditem que estes farão para os prejudicar. Uma imagem de um idoso associada a “cortes nas reformas” irá certamente chamar a atenção dos reformados. Pode não ser uma afirmação exacta, mas aqui a exatidão não é muito importante, eles querem é o impacto visual.

A mesma palavra pode ser utilizada de uma forma negativa ou positiva e ter exactamente o mesmo poder. Podem ser cortes nas reformas ou cortes nos impostos, em ambos os casos é uma mensagem poderosa, só há que escolher o que querem dizer ou quem querem atacar.

Mas não são só os partidos políticos que utilizam o poder das palavras para influenciar as pessoas. Na realidade, vemos isso todos os dias, nos jornais e campanhas publicitárias. As palavras são escolhidas cuidadosamente por forma a passar a mensagem que o autor deseja e influenciar o leitor da forma que o autor deseja.      

No final de contas, é um dever nosso ler as entrelinhas e separar a ficção dos factos.   

Cátia

Leave a Comment