Traduzir ou não traduzir

Traduzir ou não traduzir, é a questão que nos perguntamos muitas vezes, especialmente no início de carreira. O receio dos clientes perguntarem porque uma certa palavra não está traduzida, nomeadamente quando estes pagaram por essa tradução. A verdade é que, a maioria das línguas adopta estrangeirismos, em alguns sectores as palavras estrangeiras são regularmente utilizadas, daí que, por vezes o fazemos mesmo.     

Estrangeirismos

De acordo com o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, estrangeirismo é:

substantivo masculino

  1. Emprego de palavra ou frase estrangeira.
  2. Palavra ou frase estrangeira incorporada numa língua.
  3. Estrangeirice.


“estrangeirismo”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, 2008-2020.

Estas palavras são utilizadas normalmente e frequentemente e são facilmente reconhecidas pela população geral. Em Inglês temos resumé (da palavra francesa resumé) e, por exemplo em Português do Brasil temos trem (do inglês train). Na maioria dos casos estas sofrem modificações para se adaptarem à língua que as adoptou. No caso de resumé a pronúncia é diferente para se adequar à fonética inglesa, mas no caso de trem, a palavra sofreu mais do que uma adaptação. A sua grafia e pronúncia são diferentes da palavra que a originou.

Termos técnicos

Em alguns sectores, tais como TI a língua inglesa é largamente aceite. Por isso, quando se traduz um texto nestas áreas, muitas palavras não serão traduzidas porque não existe tradução para elas e estas são aceites universalmente. Algumas podem ter tradução, mas esta não é largamente utilizada, porque as pessoas nessas áreas adoptaram o termo estrangeiro.  

Traduzir ou não traduzir?

A decisão é simples. Estrangeirismos gerais são facilmente reconhecidos e sofreram alterações ou tornaram-se parte da sua língua adoptiva.

No caso dos termos técnicos, é um caso para pesquisa. Conhecer a audiência de chegada e os termos utilizado por essa audiência. A minha experiência é que encontraremos muitas palavras que simplesmente não se podem traduzir. O segredo é fazer uma pesquisa e ter a certeza que tomamos a decisão certa. Está correcto não traduzir, se essa palavra é utilizada pela audiência de chegada, a maior parte dos clientes em áreas técnicas estão cientes disto e não serão um problema. Contudo, devemos ter sempre em consideração a variante da língua, pois um país pode utilizar o termo estrangeiro, mas outro pode ter o seu termo próprio.