Depois do COVID-19

Depois do COVID-19 como será a nossa vida? O COVID-19 mudou completamente as nossas vidas, agora, a maioria trabalha a partir de casa, não podemos fazer uma churrascada com a família e amigos, não podemos sair para um dia na praia ou no parque e temos que manter a distância uns dos outros. É um grande desafio e muitas pessoas estão a ter dificuldade em se adaptar a esta nova realidade. Mas como será depois do COVID-19 desaparecer? Iremos voltar às nossas vidas normais ou será tudo totalmente diferente?

Uma revolução

Durante décadas, fomos programados a trabalhar algures fora da nossa casa. Para algumas profissões é a única forma de o fazer; não podemos imaginar um canalizador a trabalhar a partir de casa, ou um motorista de autocarro. Mas para os empregados de escritório isso é possível, e agora estamos a ver essa realidade. Por isso, o que acontecerá depois do COVID-19 desaparecer?    

Há uns dias atrás, estava a falar com uma pessoa que disse que pensava que iremos ter uma “revolução” na forma como fazemos negócios e como trabalhamos. Já tinha pensado nisso, mas agora tenho alguém que é da mesma opinião. O seu argumento faz sentido. Afinal, está provado que funciona e que é possível, por isso, porque não? As empresas verão que podem ter empregados a trabalhar a partir de casa e poderão mudar a forma como operam.  

Os pontos positivos

Se há algo de positivo a registar nesta horrível pandemia, é o facto de que, com a maioria das pessoas a trabalhar a partir de casa, reduzimos as nossas emissões e temos menos poluição no ar. As pessoas não podem viajar a menos que seja para ir trabalhar e se realmente tiverem de o fazer. Isto significa, menos carros, menos gente, menos poluição.

No aspecto económico, se os trabalhadores tiverem a possibilidade de trabalhar em casa, as empresas não terão de alugar escritórios e pagar rendas elevadas. Portanto, isto é, até um método de cortar custos. Para os empregados, significaria não terem deslocações para o trabalho, portanto não teriam custos com transportes.

Embora muita gente fale de trabalhar a partir de casa como algo que tem um efeito negativo na sua saúde mental, a verdade é que para alguns, poderá ser a melhor coisa que lhes poderia acontecer. Infelizmente, o assédio moral no local de trabalho é uma realidade e, para alguns, ir trabalhar é um verdadeiro pesadelo. Por isso, se esses empregados pudessem ter a oportunidade de trabalhar a partir de casa, poderiam manter os seus postos de trabalho, serem até mais produtivos e ter um óptimo efeito na sua saúde mental.

Os pontos negativos

O facto de as pessoas passarem a não trabalhar no mesmo local poderia ter um impacto negativo, uma vez que a interacção social seria, de certa forma, perdida. Mesmo que os empregados pudessem ainda ter contacto uns com os outros, através de videoconferências ou outras plataformas, o interacção física seria perdida e isso poderia ser negativo.  

A desertificação das nossas cidades seria também negativa. Devido ao COVID-19 temos agora que nos isolar e isto deixou as nossas cidades desertas. Se as empresas mantivessem o modelo do “trabalho remoto”, isso iria manter as nossas cidades desertas e causaria um efeito dominó na economia. O mercado imobiliário cairia, uma vez que haveria uma descida acentuada na procura. Os escritórios ficariam vazios. Muitos outros pequenos negócios sofreriam também; tais como os cafés, a pequena lojinha de comida para fora, restaurantes e todos aqueles negócios do sector retalhista, que dão vida às nossas cidades e mantêm os empregados contentes e alimentados.   

Conclusão

Ninguém sabe o que irá acontecer depois do COVID-19. Muitos acreditam que tudo voltará ao que era. Talvez isso não seja possível, uma vez que muitas empresas se perderão e a economia global será severamente afectada.

Penso que haverá uma adaptação. Da mesma forma que nos estamos agora a adaptar a esta estranha realidade, teremos que nos adaptar à realidade que tivermos na altura. Penso que algumas empresas verão os benefícios de terem empregados a trabalhar a partir de casa e irão mudar alguns departamentos, para trabalhar segundo esse modelo. Contudo, haverá sempre a necessidade para a existência de escritórios e empregados a trabalhar em escritórios. As empresas necessitam de realizar reuniões cara-a-cara, precisam de receber clientes e não penso que isso acontecerá na sala de estar de alguém. Mas aqueles que não necessitem estar com clientes, poderá ser-lhes pedido que trabalhem a partir de casa.     

Alguns empregos podem até mudar. Com esta pandemia, todos vimos os efeitos de não possuir um sector secundário nos seus países. Talvez alguns desempregados receberão novas formações e começarão a trabalhar em novas indústrias transformadoras. Ninguém sabe o que acontecerá, tudo o que podemos fazer é respeitar as regras e assegurarmo-nos de que saímos desta crise o mais rapidamente possível. 

Fique bem! Fique em casa!