Os tradutores fazem perguntas

Os tradutores fazem perguntas, fazemos muitas perguntas aos nossos clientes. Alguns podem pensar que é um sinal de insegurança, falta de experiência ou conhecimento e que não somos profissionais.  A realidade é que, quando fazemos muitas perguntas aos nossos clientes, é porque queremos obter toda a informação possível acerca do projecto, para que possamos prestar-lhes o melhor serviço possível. Um tradutor que não faz perguntas não é o melhor, e aqui está o porquê.

Porque fazemos perguntas

Para realizar o nosso trabalho de uma forma oportuna e profissional, temos de recolher toda a informação dos nossos clientes. Primeiro, temos de saber que tipo de serviço necessitam, porque quando dizem que necessitam de um serviço de tradução, isso não chega. Necessitamos de saber que tipo de tradução necessitam, podem ser um simples artigo ou comunicado de imprensa, ou pode ser a tradução certificada de um documento oficial.

Em segundo lugar, precisamos de saber a finalidade da tradução e onde esta destina, pois precisamos de saber se existem alguns problemas de localização e se somos a pessoa indicada para aquele trabalho.

Por último, temos de pedir material de referência, glossários ou qualquer outro material que nos possa auxiliar na realização do nosso trabalho, porque não somos dicionários e necessitamos de estar adequadamente equipados para completar o nosso projecto. Por vezes, especialmente em campos mais técnicos, as empresas possuem um glossário com termos que utilizam regularmente e com as traduções que foram aceites por estas e as quais querem que sejam utilizadas em todos os seus documentos.

Código de Conduta da AUSIT

O Código de Conduta da AUSIT também estipula que, como tradutores, temos de obter toda a informação necessária relativamente ao projecto. Isto inclui a finalidade da tradução e todo o material de referência. De facto, a AUSIT diz também que, caso o cliente não forneça tal material, o tradutor não pode ser responsável por quaisquer imperfeições decorrentes da falta de tal material.

T1 Antes de iniciar o trabalho, os tradutores verificam a finalidade da tradução e a forma como esta deve ser entregue.

T2 Os tardutores obtêm do cliente o máximo possível de informação, terminologia ou material de referência, necessário pata a execução adequada e oportuna do trabalho de tradução, e tratará esse material com confidencialidade ou da forma expressamente acordada. Caso cliente possua, mas não providencie tais textos de referência cruciais ao resultado desejado, o tradutor não é responsável por quaisquer imperfeições na tradução que sejam comprovadamente devidas a tal material ter sido omitido. – AUSIT Code of Ethics (Tradução do Código de Ética AUSIT)

Porque precisamos de tal informação?

Somos tradutores, não dicionários. Podem haver algumas palavras, com as quais não estamos familiarizados e, se não tivermos referências necessitaremos de pesquisar e isso irá tomar-nos tempo. Um tradutor profissional pode levar mais de meia hora a pesquisar por um termo. Um bom tradutor nunca se ficará pela primeira opção. E se tivermos dúvidas pesquisaremos, pois queremos ter a certeza que o nosso trabalho é feito correctamente. Caso o cliente já tenha a resposta que pretendemos, irá levar-nos menos tempo a entregar o projecto. Outro aspecto é que os campos técnicos podem possuir jargões próprios. É frequente as empresas possuírem os seus glossários, onde incluem todos os seus termos técnicos e as traduções que querem que sejam utilizadas em todos os seus documentos. Desta forma, eles obtêm o que querem e nós prestamos um excelente serviço. É uma vitória para todos.