Competição na aviação

Competição na aviação é importante à sua sobrevivência. No ano passado, a aviação foi dizimada pela pandemia, muitas companias aéreas afundaram e, felizmente, algumas conseguiram sobreviver. Mas ainda não estamos fora de perigo e a situação está longe do seu final, e o sector ainda luta para se manter à tona.

Na Austrália, a primeira victima foi a Tiger Air. Sendo o resultado da queda da Virgin Australia, a companhia “low-cost” foi retirada em Agosto  de 2020. A própria Virgin enfrentava graves problemas e entrou em administração voluntária. A possibilidade de perder a Virgin Australia levantou uma questão séria, o que acontecerá à competição na Austrália? 

Antes de 2020

Ao longo dos anos, a Austrália esteve bem servida em termos de competição no mercado doméstico. A Jetstar e a Virgin eram as principais operadoras. A Tiger Air foi comprada pela Virgin Australia e era a sua subsidiária “low-cost”. Depois tínhamos a Rex, uma compania aérea pequena que operava voos regionais. Parecia ser um sector bastante saudável e com alguma competição.

Virgin Australia entra em administração voluntária

Chegou a pandemia e as fronteiras foram fechadas. O maior pesadelo de qualquer companhia aérea. A Virgin Australia, que já se debatia com dívidas e entrou em administração voluntária. A sua primeira vítima foi a Tiger Air que fechou em Agosto 2020. Inicou-se então um grande processo para salvar a Virgin e trazê-la de volta. 

O monopólio Qantas

Se a Virgin não pudesse ser salva, significaria que a Qantas e a sua subsidiária low-cost Jetstar teriam um monopólio no mercado doméstico australiano. As autoridades começaram a olhar para este facto, pois isto não seria positivo, nem para o sector, nem para o consumidor australiano. A empresa poderia controlar o mercado e os preços aumentariam exponencialmente.

A subida da Rex

Se a pandemia foi cruel para alguns, outros parecem ter consigo navegar por ela e até crescer. Este foi o caso da Rex. Face à hipótece da Virgin desaparecer, a empresa começou a aventurar-se pelo mercado e a oferecer mais voos e mais destinos. Começou a operar rotas principais entre as principais cidades, comprou Boeing 737’s e, desde então, tem estado a expandir-se.

Competição restaurada

No final, a Virgin Australia acabou por ser comprada pela companhia americana Bain Capital. Espera que re-inicie operações este ano. Isto são boas notícias para a aviação doméstica australiana.  A expansão da Rex e o retorno da Virgin significa que a Qantas/Jetstar não estarão sozinhas e terão de lutar pelo seu lugar no mercado. Mais competição é também bom para manter boas práticas e manter as empresas responsáveis.

Para o consumidor, isto é óptimo. Especialmente o crescimento da Rex. As empresas grandes farão sempre tudo o que puderem para ter a maior parte do mercado e quando uma empresa mais pequena entra em jogo, estas têm de lutar mais e isso significa melhores preços para nos aliciar. Mais importante ainda, quanto mais companhias aéreas houver, mais postos de trabalho serão criados, por isso penso que é uma vitória para todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *