Lisboa, região vinícola?

Lisboa, região vinícola? Não será Estremadura? De facto, esta região era designada por Estremadura, à semelhança do que acontece com a região geográfica. Possui uma longa história de produção de vinho. Contudo, até há pouco mais de uma década, os vinhos produzidos nesta região não tinham a melhor qualidade. A região produzia em grandes quantidades, mas infelizmente, a qualidade não era a melhor. Após uma enorme restruturação do processo de produção de vinícola, a região foi redenominada e os seus vinhos são agora conhecidos por terem boa qualidade relativamente ao preço.

A região

Está localizada a nordeste de Lisboa e costumava chamar-se de Estremadura. O clima é temperado devido às influências do Atlântico. Os Verões são frescos e os Invernos são suaves e amenos, embora seja mais frio, em regiões interiores, mais afastadas da costa. A diversidade da sua paisagem e a presença de micro-climas em certas áreas, torna a região perfeita para a produção de vinho. Está sub-dividida em nove sub-regiões: Encostas de Aire, Lourinhã, Óbidos, Torres Vedras, Alenquer, Arruda, Colares, Carcavelos e Bucelas. Todas elas possuem o seu selo de Dominação de Origem Demarcada.

Todavia, devido à sua proximidade a Lisboa e ao desenvolvimento das áreas urbanas, as sub-regiões de Colares, Carcavelos e Bucelas, que outrora foram bastante importantes, sofreram uma perda de produção maciça, uma vez que ocorreu a extinção de muitas vinhas. Hoje em dia, estas sub-regiões são quase apenas de interesse histórico. Bucelas ainda produz alguns vinhos brancos que são muito apreciados no estrangeiro. Colares também produz alguns tintos, mas a sua produção raramente atinge as 10.000 garrafas.

As uvas

A região é excelente para algumas castas nativas e internacionais. Dentro das castas internacionais, encontramos Chardonnay, Cabernet Sauvignon e Syrah. As castas brancas nativas desta região são Arinto, Fernão Pires, Malvasia Fina, Rabo de Ovelha. As castas tintas são Aragonez, Castelão, Ramisco, Trincadeira e a famosa Touriga Nacional. Por vezes, poderá encontrar Tinta Miúda que é plantada com Alicante Bouschet, Touriga Franca e castas internacionais. Isto acontece maioritariamente nas sub-regiões de Óbidos, Arruda, Torres Vedras e Alenquer.

Os vinhos

As sub-regiões de Óbidos, Arruda, Torres Vedras e Alenquer foram as que receberam mais fundos para o desenvolvimento e modernização. Contudo, Alenquer é a que produz os vinhos mais prestigiados. As suas influências do Atlântico favorecem a maturação das uvas e o resultado são vinhos mais concentrados. Nas outras sub-regiões, encontrará tintos aromáticos, elegantes e ricos em taninos, que podem ser envelhecidos em garrafa por alguns anos. Os brancos são frescos e apresentam um carácter crítico delicioso.  

fonte: Infovini

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *