Matar o Planeta

Matar o Planeta. Infelizmente, é algo que fazemos há séculos. Muitos dizem que é o progresso e evolução, mas a verdade é que, se não pararmos vamos matar o planeta e matarmo-nos a nós próprios. Agora sabemos fazer as coisas de melhor forma, por isso está na altura de esquecer o passado e abraçar o futuro.

Como começou?

Tudo começou na Inglaterra, na segunda metade do Séc. XVIII, com a Primeira Revolução Industrial. Este foi um período em que as sociedades, maioritariamente agrárias, se tornaram industrializadas. O poder do vapor ajudou esta revolução, com a introdução de maquinaria, que aumentou a manufactura. Os produtos, agora produzidos a grande velocidade eram também transportados rapidamente, por comboios.

É fácil de ver que, naquela altura, isto era visto como uma grande proeza para as nossas sociedades e algo positivo para todos. Mais empregos, aumento na produtividade, mais produtos, transporte rápido. Mas agora vemos o que custou ao nosso Planeta.

O Dióxido de Carbono é um dos maiores contribuintes para os gases de efeito de estufa. Ainda, as fábricas necessitavam de descartar o lixo, e com isso veio todo o tipo de poluição, não só a poluição atmosférica causada pelos motores a vapor, mas a poluição dos rios e dos solos. A pouco e pouco estávamos a matar o planeta com o nosso desenvolvimento técnico e industrial.  

É possível parar?

É com certeza. Temos mesmo que parar. Caso não o façamos, matar-nos-á a todos. No Séc. XVIII, não tínhamos conhecimento disto, não estávamos suficientemente desenvolvidos para perceber as consequências destas acções. Mas agora estamos no Séc. XXI, e não só sabemos das consequências, como também sabemos como evitá-las, por isso, de que estamos à espera?

Não acontecerá de um dia para o outro, seria irrealista pensar que podemos mudar tão depressa, mas podemos mudar. Nós sabemos o que o aquecimento global está a fazer ao nosso Planeta. Segundo a OMS, em 2003, a Europa sofreu a maior vaga de calor de que há registo. Matou mais de 70,000 pessoas em 12 países. Noutras partes do mundo, temos também visto os resultados das mudanças climáticas. No ano passado, a Austrália teve a pior época de fogos florestais de que há registo. O país ardeu por quase 6 meses. Milhares de animais e 33 pessoas perderam a vida.     

Temos que agir. Não Podemos continuar a enterrar a cabeça na areia e negar a realidade, isto é real, está a acontecer e nós somos os responsáveis.  

Haverá esperança no futuro?

Eu quero acreditar que sim. As energias renováveis são uma realidade e sabemos que já não necessitamos do carvão. Aprendemos a reciclar o lixo, aprendemos a fazer melhores escolhas, portanto, podemos fazê-lo.

Necessitamos compromisso, necessitamos liderança e empoderamento para podermos andar para a frente. Precisamos de educar os nossos filhos a serem responsáveis e fazer escolhas responsáveis. Se o fizermos hoje, ainda teremos esperança num futuro melhor e num planeta melhor.

Fontes: History , WHO