Não são os grandes poluídores

Não são os grandes poluídores. Quando falamos de emissões de carbono e pegada de carbono, muitas pessoas têm o conceito errado de que a aviação estará no topo dos grandes poluídores. Eu posso entender a razão para tal conceito, nós sabemos que os aviões consomem muito combustível, e isso traduz-se em dióxido de carbono. Bom, isso não é verdade e os dados mostram que a aviação é na realidade um dos sectores que produz menos emissões.     

O seu carro polui mais de o avião

De acordo com Our World Data, quando analisamos as emissões de gases de efeito de estufa, por sector, descobrimos que a aviação é responsável por apenas 1,9% das emissões. Os dados mostram que os Transportes emitem 16,2% dos gases de efeito de estufa mundiais. Desses 16,2%, 11,9% vão para os trsnportes rodoviários, 60% destes vão para os transprtes de passageiros, ou seja os nossos carros, motas e autocarros. Os mesmos dados mostram também que a aviação é responsável por 1,9% das emissões. Dentro do sector, as viagens de passageiros estão também no topo, com 81% do total da aviação. Os relatórios mostram até que dentro das viagens de passageiros, as viagens internacionais estão no topo com 60%, o que penso ser bastante previsível, uma vez que envolve distâncias maiores e mais consumo de combustível, e as viagens domésticas por último com 40%.   

Se olharmos para o Relatório, descobrimos que a aviação polui menos que os edifícios residenciais e comerciais, o quais são responsáveis por 10,9% e 6,6% respectivamente.  

O futuro

Embora a aviação não esteja no topo dos grandes poluídores. É um facto de que é responsável por 1,9% e que necessitamos de continuar a trabalhar árduamente para chegar a 0. O sector tem feito isso durante anos. Os nossos aviões são mais eficientes em termos de consumo de combustível, por isso consumem menos, o que significa menos emissões. Novas tecnologias em termos de combustível estão também disponíveis, com a utilização de SAF e a possível utilização do hidrogénio. Temos visto que todo o sector está empenhado nesta mudança, desde os grandes fabricantes de aviões, como a Boeing e a Airbus, os quais investiram nestas novas tecnologias e querem produzir aviões “verdes”, às companhias aéreas que têm vindo a puxar esta mudança há anos. Eu atreveria-me a dizer que o fururo parece verde para a aviação!        

Deixe uma resposta