Qantas manda primeiro A380 para a sucata

Qantas manda primeirro A380 para a sucata. A  Australian Aviation  publicou um artigo, em Junho deste ano, mostrando uma foto tirada por um utillizador do Twitter, que confirmou que o primeiro A380 da Qantas já foi para a sucata. A foto,  que parece ter sido tirada no cemitério de aviões de Victorville, mostra o avião sem nariz. Uma triste confirmação de que o super jumbo chegou ao seu fim.  

O avião será desmantelado para partes

De acordo com o artigo, o avião era o VH-OQF,  o qual recebeu o nome do aviador australiano Charles Kingsford Smith. Este foi o sexto A380 a entrar na frota do Cangarú Voador e foi entrege a 8 de Janeiro de 2010. O seu primeiro serviço ocorreu a 17 de Janeiro do mesmo ano, entre Sydney e LAX. Após 10 anos de serviço, foi levado para Victorville, em Julho de 2020. O avião será desmantelado para peças, que serão armazenadas quer nas instalações para o A380 da Qantas em LAX, como no aeroporto de Sydney. Este é o primeiro de dois A380 a serem retirados pela companhia aérea.   

Uma nova página para o Cangarú Voador

Embora este seja um evento triste para os amantes da aviação, este é também um virar da página para a Qantas. A companhia aérea anunciou os seus planos para a renovação da sua frota. O Projecto Sunrise verá 12 novos A350-1000, os quais serão neutros em termos de carbono, e 25% mais effficientes em termos de consumo de combstível. Estes aviões têm também a capacidade de voar da Austrália até à Europa, sem paragens.   

A Qantas esta também a renovar a sua frota doméstica. O  Projecto Winton verá a companhia aérea comprar 20 A321XLR e 20 A2200-300. Estes são também mais eficientes em termos de consumo de combustível e emitem menos ruído do que os actuais Boeing 737 e 717.

O futuro

Embora todos gostemos de relembrar os grandes aviões do passado, a realidade e que temos de andar para a frente e deixarmos esse passado. É uma realidade, que o A380 foi um enorme melhoramento em termos de ruído, mas precisamos de mais, precisamos de mais eficiencia em termos de consumo de combustíiveel e claro, sustentabilidade, para que possamos olhar para um futuro verde na aviação. Infelizmente, isso significa que alguns dos nossos favoritos têm de se reformar.      

Deixe uma resposta