Região dos vinhos verdes

Região dos vinhos verdes. Se já esteve em Portugal, muito provavelmente estará familiarizado com o seus excelentes vinhos. O vinho verde, é certamente um dos mais populares e tem a sua região própria. É produzido no norte, na região geográfica do Minho.

O  nome “verde” está envolvido em diversas teorias acerca da razão pela qual terá este nome. Alguns pensam ser devido à sua acidez que lembra as uvas ainda verdes, outros pensam que é devido à lindíssima vegetação da região. Podem até ser que ambos, visto que ambos os argumentos estão certos.

A região

A região dos vinhos verdes possui um elevado grau de humidade, o que ajuda ao crescimento da exuberante vegetação. Recebe a briza marítima do Oceano Atlântico e possui também um elevado valor de precicitação anual. O solo é na sua maioria granítico, com um grau de acidez elevado e um baixo teor de fósforo. O resultado é um solo pouco fértil. Isso não deteve os portugueses, que durante séculos desenvolveram técnicas para combater esse problema e ainda serem capazes de  produzir excelentes vinhos. A criação de socalcos, uma das maiores caracteristicas da região, foi uma dessas técnicas reforçada pela utilização de fertilizantes naturais, tais como o estrume.

A região está sub-dividida em 9 sub-regiões que são Monção, Lima, Cávado, Basto, Ave, Amarante, Sousa, Paiva e Baião. Cada uma destas sub-regiões produz os seus vinhos próprios, com as suas próprias características.

As uvas

A região produz uma vasta gama de castas. Embora a maioria das pessoas conheça o vinho verde branco, os tintos ainda se encontram por descobrir e são deliciosos.

As castas brancas cultivadas nesta região são o famoso Alvarinho, Loureiro, Avesso, Azal e Trajadura. Para as castas tintas temos Borraçal, Espadeiro e Vinhão.

Os vinhos

Os vinhos são tão diversos como as sub-regiões onde são produzidos. Cada uma com as suas caracteristicas próprias, solo e clima. De uma maneira geral, os vinhos verdes são ligeiramente acídicos e leves. Alguns podem ser frutados. Por exemplo, um Alvarinho produzido em Monção será um vinho encorpado, seco, mas um Loureiro de Lima será mais suave e perfumado. Os tintos, que foram inicialmente a produção principal da região, são agora quase exclusivamente conhecidos e consuidos pela população local. Bastante acídicos ao paladar, são fundamentais em qualquer mesa, complementando a gastronomia local.    

Fonte: Infovini

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *