Traduções Literárias: A Importância de Um Título

Como tradutores, fazemos escolhas significativas de palavras todos os dias. Em todos os campos temáticos, a interpretação é fundamental e fazemos escolhas pessoais em cada frase. Uma única palavra pode mudar o tom de um texto, determinar o nível de conhecimento de um texto técnico ou a precisão de um documento, mas no caso da tradução literária, o significado de palavras é maximizado e o tradutor tem o dever de honrar as intenções do autor original. Como escritora e tradutora, estou profundamente agradecida pelas escolhas difíceis que os tradutores literários fazem sempre que aceitam traduzir obras de ficção. No entanto, não posso deixar de questionar algumas das escolhas que os tradutores literários fazem.

Tendo trabalhado na indústria livreira, sei que os autores não têm necessariamente a última palavra no que diz respeito aos títulos dos seus livros. As editoras têm equipas de edição e marketing que unem forças para garantir que um livro é bem-sucedido e isso significa que, muitas vezes, capas, títulos e tamanhos de capítulos são decisões retiradas das mãos de um autor. Da mesma forma, os tradutores não têm total responsabilidade pela tradução de um título. Há espaço para jogar quando o marketing e a localização são importantes.

Recentemente, presenciei o lançamento de um dos maiores êxitos de vendas do ano passado, “Eleanor Oliphant Is Completely Fine”, em Portugal. Li o romance de estreia de Gail Honeyman um pouco antes de se tornar um sucesso instantâneo. “Eleanor Oliphant Is Completely Fine” é a história de Eleanor, uma estranha mulher escocesa com uma vida solitária e um passado problemático que tenta esquecer através de uma vida cuidadosamente planeada e previsível. Um momento inesperado de bondade leva Eleanor a fazer amizade com um dos seus colegas de trabalho e perceber que talvez não tenha de viver o resto da sua vida sozinha. Poderia escrever aqui sobre a narração fenomenal da Gail e como ela construiu Eleanor tão perfeitamente imperfeita que não podemos deixar de torcer por ela. Os meus sentimentos e pensamentos sobre esta história são profundos e emocionais e estou a testemunhar com grande expectativa o acolhimento desta história no mercado português. No entanto, o meu coração partiu-se um pouco quando vi a tradução do título do livro: “A Educação de Eleanor”.

screenshot_20190414-231852_instagram4483883835844547519.jpg

A Importância de Ter Em Conta Toda a História ao Traduzir um Livro

Shakespeare escreveu “Uma rosa por qualquer outro nome cheiraria tão bem”, mas não diria que isso se aplica a títulos de livros. Os títulos são extremamente importantes quando os leitores escolhem o que querem ler. Um título, junto com a capa, precisa transmitir o tema e o clima da história. Isso é ainda mais relevante quando se trata de romances de estreia onde os autores não têm um corpo de trabalho anterior para sustentá-los.

“Eleanor Oliphant Is Completely Fine” é um título sarcástico. Algo que a própria Eleanor diria. Ela não está bem. Ela não está bem de todo. Como muitos de nós, Eleanor finge estar bem, até para si mesma, mas no fundo ela está sozinha e a sofrer. O título transmite esse aspecto da história perfeitamente.

Já por outro lado, “A Educação de Eleanor” sugere que o livro é escrito a partir da perspectiva da pessoa responsável pela educação de Eleanor. Isso implica um foco em como Eleanor foi / está sendo educada ou como ela se tornou a pessoa que é. Se juntarmos a expressão “The Education of” com o nome “Eleanor” (um antigo nome britânico agora associado às classes altas), dá a impressão de que “Eleanor Is Completely Fine” é a história de como uma adolescente arrogante aprendeu uma lição de humildade quando seu pai perdeu todos os seus investimentos.

Um título como este pode dar a ideia errada sobre toda a história e transformá-la em algo diferente se se deixar espaço suficiente para diferentes interpretações.

Se olharmos mais de perto para os mercados de idiomas mais próximos, os espanhóis têm “Eleanor Oliphant Está Perfectamente”, os franceses “Eleanor Oliphant Vá Très Bien” e em italiano “Eleanor Oliphant Sta Benissimo”. Todos estes mantêm o tema de declarar como Eleanor Oliphant está em termos sarcásticos permanecendo, portanto, fiéis ao trabalho original. A decisão de traduzir “Eleanor Oliphant Is Completely Fine” como “A Educação de Eleanor” é questionável, para dizer o mínimo e, na minha opinião, não faz jus ao livro. “Eleanor Oliphant Está Super Bem” (“Eleanor Oliphant Is Super (Good)”) ou “Eleanor Oliphant Está Óptima” teriam sido opções mais apropriadas para o título que deixariam menos espaço para desambiguação.

Quando as Escolhas São Tiradas das Mãos dos Tradutores

Há muitos casos em que os conselhos e conhecimentos de um tradutor são ignorados. Em casos como a indústria livreira, a análise de mercado é importante e muitas vezes os títulos são testados em grupos de foco. Pode dar-se o caso que “A Educação de Eleanor” obteve resultados melhores e mais pessoas foram atraídas para o potencial de uma história sobre a educação de uma criança em vez de um título mais sarcástico. O mercado português é um pouco conservador e pequeno o suficiente para impedir que os editores corram riscos. No entanto, existem algumas ocasiões em que a escolha dos tradutores ou as escolhas dos editores podem ser completamente imprecisas. Mas isto, claro, é uma mera interpretação pessoal.

Leave a Comment